02 junho 2013

{Resenha} Trilogia O Grito (The Grudge)



Olá pessoal,

Hoje trago à vocês uma resenha tripla, a trilogia "O Grito", pedido da Keli Gaboardi que mandou e-mail aqui para o blog.

Espero que gostem!



O Grito (The Grudge)

Lançado em 2004, se trata de uma refilmagem de um filme japonês chamado "Ju-on: The Grudge" de 2002, do diretor Takashi Shimizu, que também dirige essa versão americana do longa de horror sobrenatural. A produção é de Sam Raimi e Robert Tapert e o roteiro ficou a cargo de Stephen Susco, tendo suas filmagens ocorridas em Tóquio no Japão. Produzido nos estúdios da Ghost House Pictures e distribuído pela Columbia Pictures. Custou cerca de US$ 10 milhões e arrecadou cerca de US$ 187 milhões nas bilheterias.

O plot do filme gira em torno de uma lenda, onde fala que quando alguém morre guardando uma raiva poderosa dentro de si, nasce uma maldição, que se concentra no lugar da morte e sua fúria consumirá todos aqueles que a encontrarem.


No elenco temos Sarah Michelle Gellar (da maravilhosa série de TV "Buffy: A Caça-Vampiros"), Jason Behr (da série de TV "Arquivo Roswell"), William Mapother (A Outra Terra), Clea DuVall (Argo e da série de TV "Carnivale"), KaDee Strickland (da série de TV "Private Practice"), Grace Zabriskie (da série de TV "Amor Imenso"), Bill Pullman (Independence Day), Ted Raimi (irmão de Sam Raimi e o personagem Joxer, O Poderoso da ótima série de TV "Xena: A Princesa Guerreira"), Ryo Ishibashi (O Pacto), e completando o elenco temos Yuya Ozeki e Takako Fuji (ambos do filme original japonês e ambos interpretam os mesmos personagens que fizeram no original).

Como podem observar, o elenco é muito bom! O filme não segue um enredo linear, tendo vários "filminhos" dentro dele, você começa sendo apresentado e conhecendo um personagem, aí já muda pra outro, pra outro e assim por diante, similar ao que ocorre em alguns jogos de video game (inclusive existe um game da série O Grito lançado em 2009 para a plataforma Wii), mas isso não prejudica em nada o desenrolar do filme, pelo contrário, é ótimo, pois você fica curioso em saber o que aquele personagem tem a ver com o tema central, que é a maldição da casa, isso foi muito bem trabalhado, e você vai ligando os pontos no desenrolar da trama.




A personagem principal basicamente é a Karen (embora todos estejam ligados a história), interpretada pela Sarah Michelle Gellar, e isso (não sei se só a mim) fez com que eu ficasse lembrando de episódios de Scooby-Doo o tempo todo, pois a Sarah interpreta a Daphne nos filmes do Scooby, e o fato dela ficar investigando a maldição da casa me fez lembrar mais ainda, mas que fique bem claro que o filme não tem nenhuma relação com o Scooby-Doo. Ela é uma universitária em intercâmbio no Japão e faz serviços voluntários de assistência social, isso vale pontos para sua formatura. Um dia ela vai substituir uma outra assistente em uma determinada casa, lá ela se depara com a maldição, posteriormente ela começa a investigar e ligar os pontos desse ciclo de horror e tenta botar um fim nele (ou não, rsrs).

O filme não tem aqueles sustos que fazem você não dormir a noite, cair da cadeira, gritar e coisas do tipo, o que tem são "sustinhos", alguns em horas inesperadas, outros nem tanto, mas nada de assustador ou aterrorizante, você fica mais interessado nos acontecimentos do que com as assombrações em si, foca mais no suspense, eu achei bem leve, uma boa indicação aí para quem tem medo de filmes de terror. As atuações são boas, o enredo ficou muito bom, bem feitinho, porém por não ter muitos sustos (poucos ou quase nenhum), é mais um filme investigativo do que assustador, mas convence e vale a pena assistir. Posso resumir ele como sério, leve, interessante e legal de se ver, nota 7 para ele. Recomendo! 




O Grito 2 (The Grudge 2)

Lançado em 2006, é a sequência do filme "O Grito" de 2004, também dirigido por Takashi Shimizu. Apesar de existir na série japonesa um filme chamado "Ju-on: The Grudge 2" de 2003, também de autoria do Takashi, ele afirmou que O Grito 2 americano não é refilmagem do Grito 2 japonês e a história não tem nada a ver também com a sequência nipônica. A produção é de Sam Raimi, Robert Tapert e Roy Lee e o roteiro novamente de Stephen Susco. Produzido nos estúdios da Ghost House Pictures e distribuído pela Columbia Pictures,  custou cerca de US$ 20 milhões e arrecadou cerca de US$ 70 milhões nas bilheterias.

O plot dessa sequência é o mesmo do primeiro filme, inclusive contendo na abertura a mesma explicação da lenda da maldição. A diferença é que não vamos seguir a Karen dessa vez e sim a irmã dela, que viaja ao Japão para encontrá-la, um trio de garotas de uma escola e uma família que está se mudando para um prédio, além de uma suposta mudança na maldição pelo ocorrido no final do primeiro filme.


No elenco remanescente, temos a Sarah Michelle Gellar (da série de TV "Buffy: A Caça-Vampiros"), Yuya Ozeki e Takako Fuji (que fizeram o filme anterior) e Ryo Ishibashi (O Pacto), do elenco novo temos: Teresa Palmer (Meu Namorado é um Zumbi), Amber Tamblyn (127 Horas, e da série de TV "Joan of Arcadia"), Arielle Kebbel (O Mistério das Duas Irmãs), Edison Chen (Batman - O Cavaleiro das Trevas), Sarah Roemer (Paranóia), Matthew Knight (da série de TV "Minha Babá é Uma Vampira"), Misako Uno, Ohga Tanaka, Jennifer Beals (Flashdance - Em Ritmo de Embalo) e Christopher Cousins (da série de TV "Breaking Bad").

O elenco não é tão bom quanto o primeiro filme, mas tudo bem, pois não é ruim. Essa sequência é basicamente dividida em 3 partes, a irmã da Karen, o trio de garotas e a família em mudanças. Você ao longo do filme vai sendo apresentado as partes do longa, uma hora você tá acompanhando um, outra hora vendo outro e assim por diante, tudo tranquilo.




Como está diretamente ligado ao primeiro filme, qualquer coisa que eu falar vai ser um spoiler, então tentarei falar o máximo sem soltar spoiler. Resumindo seria isso: 
1° parte - a mãe da Karen está doente e manda a filha ir buscar a irmã no Japão, e lá ela encontra a maldição
2° parte - 2 garotas populares em uma brincadeira imbecil e babaca, chamam uma garota que não é popular para um passeio, ou seja, pra casa amaldiçoada, e lá tentam pregar uma peça com ela, só que a brincadeirinha pode custar caro. 
3° parte - a família do garoto está de mudança, só que essa mudança literalmente vai mudar a vida deles.

Se o primeiro filme não tinha muitos sustos, esse aqui é que não tem mesmo. Ah, ok, então foca no suspense? Não e não, o roteiro desse segundo filme é fraco, é previsível demais, o filme não se leva a sério, o que acaba fazendo você rir de algumas cenas (pelo menos eu ri em várias, rsrs), os "sustinhos" são muito óbvios, você já sabe que vai aparecer algo ali, fazendo com que a pessoa não se assuste. Um bom filme de terror tem que ter uma história boa, um suspense bom, e você tomar sustos em momentos inesperados (ou ser chocado nos filmes gore), e aqui em O Grito 2, isso foi inexistente para mim. Mas tem algumas cenas que são boas (a da Teresa Palmer se mijando de medo por exemplo), embora não tire a avaliação baixa do filme, nota 4 para ele. Eu não recomendo, pra mim devia ter sido finalizado no primeiro filme, mas é questão de opinião!



O Grito 3 (The Grudge 3)

Longa de 2009, é o terceiro da franquia "O Grito" iniciada em 2004. Dessa vez Takashi Shimizu produziu o filme ao lado de Sam Raimi, e a direção ficou com Toby Wilkins, o roteiro também sofreu alteração, ficando a cargo de Brad Keene. Produzido nos estúdios da Ghost House Pictures e distribuído pela Columbia Pictures, Stage 6 Films e Sony (EUA), o filme foi lançado diretamente em DVD, custou cerca de US$ 5 milhões e arrecadou cerca de US$ 38 milhões.

O plot do filme é igual aos outros 2, porém com um fato novo, se você sobrevive a maldição, estará fadado a carregá-la até que a mesma renasça novamente. Outra novidade é que o filme não se passa mais no Japão, agora é em Chicago (embora as filmagens tenham sido realizadas na Bulgária).


No elenco temos Matthew Knight (da série de TV "Minha Babá é Uma Vampira"), Shawnee Smith (a Amanda da franquia "Jogos Mortais" e atualmente na série de TV "Tratamento de Choque" com o Charlie Sheen), Mike Straub (Floresta do Mal - Caminho da Morte), Aiko Horiuchi, Shimba Tsuchiya, Emi Ikehata (The Winter Butterfly), Johanna Braddy (A Mentira), Beau Mirchoff (da série de TV "Awkward."), Gil McKinney (atuou na série de TV "Plantão Médico"), Jadie Rose Hobson (da série de TV "Blast Lab") e Marina Sirtis (da série de TV "Jornada nas Estrelas: A Nova Geração").

O elenco é o pior dos três filmes, e para piorar mais ainda, não sei por que motivo o pessoal que tem um pouco mais de talento foi tão mal aproveitado, mas esse não é o maior problema do longa, ele simplesmente não tem identidade, tenta ser suspense, tenta ser terror, tenta ser drama e por fim tenta ser gore, culminando com a perda total das características do primeiro filme, que é sem dúvidas o melhor dos três.

Dessa vez a história gira em torno do prédio onde morava um sobrevivente da maldição no segundo filme (quem prestou atenção aí no elenco já sabe quem foi), e em uma parente da "amaldiçoada" que viaja do Japão até Chicago para tentar botar fim na maldição.




Se eu achei o segundo filme fraco e previsível a ponto de achar graça do que acontece, esse aqui então é galhofa pura! A começar pela mudança do personagem que faz uma das assombrações, simplesmente a produção foi tão incompetente que não percebeu que o ator escolhido tinha quase o dobro do tamanho do ator do primeiro e segundo filme. Outro ponto é a maquiagem e os efeitos, simplesmente novela tem efeitos e maquiagens melhores que esse terceiro filme. Sustos? Nem pensar, rsrs! É mais previsível que o segundo filme, muitas falhas mesmo. As cenas são tão forçadas que as vezes é quase impossível não dar risada, tão grande é o absurdo, mas a maior palhaçada mesmo em torno desse filme foi a tentativa de ser gore, acabando com as raízes do primeiro longa.

O filme não é ruim, é horroroso mesmo! Do gênero, é um dos piores que já assisti sem dúvidas, minha nota para ele é 2, e isso apenas por que foi bom rever a Amanda da franquia "Jogos Mortais" novamente e a Emi Ikehata, que gostei da atuação dela, se não fosse isso, era zero mesmo com todo gosto, simplesmente destruiu o que foi construído no primeiro filme, totalmente desnecessário, como já falei antes, deveria ter sido finalizado no primeiro.

Não recomendo, horrível, sem contar que a fórmula "espírito vingativo" não é nada inovadora, e mal feito ainda por cima, aí acaba com tudo de vez mesmo!




Para finalizar eu gostaria de deixar bem claro, essa resenha é minha opinião, é bem provável que vocês tenham uma diferente da minha, ou não. Sintam-se a vontade para falarem o que acharam dessa trilogia nos comentários.

Também queria perguntar algo: Vocês gostariam de ver mais filmes de terror nas postagens do blog? Comentem!

Por hoje é só pessoal, até a próxima.


12 comentários:

  1. Eu tentei vê o primeiro mais não conseguir assistir o filme. Tive muito medo rsrsrs
    Mais isso já faz bastante tempo,pensando bem vou vê se consigo vê ele novamente.
    Beijos...

    ResponderExcluir
  2. Ola, não sei se veria, geralmente não gosto deste tipo de filme/livro, prefiro os mais leves..

    beijos mila

    ResponderExcluir
  3. Nada a declarar já não sou muito chegada a filmes de terror e essa trilogia foi ridícula

    ResponderExcluir
  4. Para os fãs do gênero é uma boa pedida. Um amigo meu me disse que os filmes (Em ambas as versões) tiveram os seus erros e acertos e valem para discutir a premissa do terror. Eu sou medrosa pra caramba, então... Só vejo se for em bando! kkkkkkkkkkkk

    ResponderExcluir
  5. Eu não curto filmes de terror, mas assisti aos dois primeiros, por tabela, já que meus filhos gostam e assistiram aqui em casa, algumas vezes. Confesso, que não gostei dos filmes, achei bem fracos e sem nexo, mas esta é a minha opinião. Bjus
    Lia Christo
    www.docesletras.com.br

    ResponderExcluir
  6. Eu curto filmes de terror, e vi esses tres filmes, mas não curti muito, achei meio fraco. Só vi mesmo por causa da Sarah Michelle Geller que eu sou super fã. O filme vale mesmo só por causa dela!

    http://www.lostgirlygirl.com


    bjos

    ResponderExcluir
  7. Eu vi o primeiro e foi suficiente para mim...
    Tô legal desses filmes de terror tão "tosqueira".

    Bjs

    ResponderExcluir
  8. Oi.
    Terror é um gênero que eu não suporto, não assisto de forma alguma, sou tão medrosa rsrsrs.

    Beijos
    Leituras da Paty

    ResponderExcluir
  9. Eu estou assistindo o 3 agora e.e
    Eu estou realmente rindo do filme. Eu consigo fazer piada dele facilmente, porque ele não dá nenhum resídio de medo '-'
    Vou ver o 1 e o 2, se conseguir (pq às vezes n passa no mês ¬¬), espero que sejam melhores q o 3.

    ResponderExcluir
  10. Eu gostei do 1, e do 2, o 3 nem tanto: Não gostei tanto do novo elenco, nem da nova kayako. Gostei da personagem Naoko e da menininha, só.
    O segundo eu achei muito legal, não chega a ser do mesmo nível do primeiro mas é uma continuação decente. Achei o enredo bom, e os sustos são leves e.e . Só não gostei tanto do fim que a Aubrey ( irmã da Karen) teve ;-;
    O primeiro com certeza é o melhor.

    ResponderExcluir
  11. Todo mundo diz sustinho. Tenho um sério problema com essa mulher do grito. Eu sei q e uma coisa boba mas não consigo olhar. Nunca consegui entender o filme por não conseguir olhar e isso me persegue.

    ResponderExcluir
  12. Não gosto mt desses filmes, são muito fracos e chatos de assistir. O meu filme de terror preferido é "O Chamado", esse sim tem uma personagem icônica e efeitos bem sinistros.

    ResponderExcluir

Olá, leitores e blogueiros.
Os comentários de vocês são muito bem-vindos.
Respondo a todos, deixe o link de seus blogs,
vou adorar visitar e comentar.

Bem vindos a Love Books.