07 maio 2013

{Happy Days} Por que os jovens brasileiros dessa geração não gostam de ler?

Olá, galera!

Minha única postagem no blog foi feita no início de fevereiro! O vestibular me consumiu inteira – ainda consome – e só agora pude organizar melhor a minha vida. Agradeço muito a Sol, por ter entendido e mantido a minha vaga. Afinal, escrever é talvez a coisa que eu mais gosto de fazer. Fico dividida entre a leitura, também.

Pois bem, vamos ao que interessa...

Desde novinha, curto ler e escrever. Aprendi a fazer os dois sem dificuldade aos cinco anos de idade. Já escrevia e lia paralelepípedo numa boa, algo que me deixou a frente de várias crianças. Até os dez anos, amava os quadrinhos da turma da Mônica e ler jornal era comigo mesmo. Tudo bem, que como uma criança sonhadora, dava atenção especial às colunas onde se referiam as celebridades. Foi só aos quinze anos que eu embarquei de verdade no mundo da literatura. Sim, tarde para quem nutria grande interesse pela leitura, né? No decorrer do matéria/post vocês irão entender.

Então, será que existe uma explicação que defina o fato da maioria dos jovens dessa geração simplesmente ignorar essa prática tão importante? Tenho observado há tempos meus colegas e amigos e resolvi desvendar através de motivos.

  • Falta de incentivo familiar.
Vocês sabem, no quesito leitura o nosso país é precário. Os novos escritores são pouco valorizados. A demanda de gente que escreveu um livro, mas não obteve reconhecimento pelo ato é grande. E isso vem de berço. Não são todos os pais que incentivam. Uma parte não lê, outra parte nem ao menos
cria o hábito de ler contos de fadas para os seus filhos. No meu caso, agradeço a mamãe. Mesmo sem tempo, incentivava a compra de quadrinhos e me parabenizava quando eu lia direitinho.





  • A deficiência do sistema escolar.
Não sei se foi assim com todos... Mas segundo o sistema escolar, a literatura é estudada do Quinhentismo – a famosa carta de Pero Vaz de Caminha – até o Modernismo. Algumas escolas pegam um pouco da literatura contemporânea, outras não. E geralmente, se começa estudando a literatura do século XVI. Aquela que nem é genuinamente brasileira, formada por palavras difíceis de entender, pois nosso idioma passou por várias transformações até chegar ao que é hoje.

Imaginem a seguinte situação: você é um pré-adolescente. Não tem mestrado em leitura ou escrita, sabe que seu aprimoramento chegará – ao menos na teoria – no começo do ensino médio. Porém, adivinha o que acontece? A professora de repente começa a pedir que você leia obras do romantismo, do barroco... E você pira, pois precisa ter um vocabulário literário que não tem. Livros assim, só com o dicionário ao lado. E o que a literatura brasileira antiga se torna? Um porre!

Por isso que passei a embarcar nesse mundo literário tardiamente. Na oitava série, pensei: “vou começar a ler livros com linguagem mais coloquial, gêneros que eu mais curto – romance, aventura, sobrenatural – e recuperar o tempo perdido”. Resultado: enquanto a professora exigia a leitura desses livros arcaicos, eu passei a ler por fora tudo o que eu queria. Com a ajuda financeira da mamãe, é claro. Graças a essa ideia, hoje em dia não há gênero ruim para mim, e mesmo não gostando muito de certo livro, nunca o deixo de lado. Afinal, sei que ele servirá ao menos para ampliar minha mente. Mente aberta é sinônimo de felicidade, em minha opinião.




  • O preço dos livros.
Tudo bem, que eles abaixaram. Há várias promoções em sites – o Submarino me faz pirar! – e sorteios incríveis pela rede social. Em um mês participei de tantos que ganhei dois deles. Entretanto... Nem tudo são flores. Os livros brasileiros ainda custam caro. É aí que retomo a desvalorização do escritor no Brasil. Pois percebi que os livros mais lidos participam de ofertas interessantes. Acredito que, se o índice de leitura aumentasse, como as compras aumentariam, é óbvio que o custo sairia mais barato. Não há como um escritor independente
– eu mesma me tornarei uma em breve – diminuir certos gastos.

Vamos embarcar numa missão? Não estio 007, é mais fácil do que vocês imaginam!
Que tal incentivar nossos amigos e conhecidos a ler mais? Emprestando um livro, mostrando

Sim, meus caros! O amor pela literatura!
promoções interessantes, lendo com ele passagens marcantes. O que der para fazer! Eu pretendo até mostrar essa matéria para certos colegas meus que não curtem ler. E ficar de olho nos meus sobrinhos, com o intuito de criar neles o amor mais puro. O amor que não te machuca nadinha, pelo contrário, te torna mais feliz. Sem contar no aumento da inteligência e da sabedoria.

Até a próxima.

~ Criei um blog há pouco tempo
bem simples e com apenas alguns escritores meus
e gostaria que ao menos dessem uma olhada, sem compromisso.

Link: http://biografiadesconhecida.blogspot.com.br/


 



25 comentários:

  1. Concordo, sério, preços, falta de incentivo e motivação, tudo isso só diminui o número de leitores brasileiros.,

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Triste situação, não é?
      Mas a esperança é a última que morre!
      Obrigada por ter lido. ;)

      Excluir
  2. É basicamente isso mesmo. Sou quase uma bibliotecária e estamos vendo e trabalhando muito nisso. Fazer um jovem gostar de ler é quase uma tarefa impossível, porque primeiro temos que fazer as crianças gostarem de ler, e eis a parte complicada em um sistema de ensino como o nosso. Sinto na pele isso.
    Meu filho tem 4 anos. Ele estuda numa escola particular a qual toma mais da metade do meu salário, e ele não sabe identificar nem um "a".
    Eu sou uma leitora por vida, então não tem um dia em que ele não me veja lendo ou que eu não leia pra ele. Acho que é uma das maiores heranças que posso deixar pro Rafael: Amor pela leitura. Mas daí é um conjunto de fatores. Já liguei e briguei com a escola sobre isso. Sozinha eu não posso ajudar meu filho. Até porque saiu de casa 5 da manhã e volto 23 da noite. Deixo ele dormindo, e acho ele dormindo da mesma forma quando volto. Então a escola tem que ajudar meu ensino de final de semana, fazendo meu filho ver isso diariamente na escola. Poxa, ele passa dois horários por lá, o que eles fazem o dia inteiro? Só olhar para crianças não quebrarem os braços umas das outras, não serve.
    Se meu filho estuda num colégio que sempre foi referencia pro estado onde moro, o que acontece com quem estuda em creche pública? Sim, porque infelizmente no meu estado, nada público funciona nem 50% do que deveria.
    Isso é uma questão longa e que rende muita conversa.
    Acho livros caros, sim! Mesmo com promoções e alguns tipos de desconto. Meu vizinho tem seis filhos e recebeu esse mês 420,00. Poxa, como sustentar uma família com isso? E mais, como garantir que seus filhos tenham o mínimo de cultura literária? Não há como, entende?
    Na minha cidade não tem bibliotecas públicas. Nas escolas não tem bibliotecas.
    Como diabos eles irão ter contato com essa cultura que costumo dizer que é uma cultura erudita, pelo alto grau de dificuldade que se tem no meu estado de garantir que ela seja transmitida?
    Concordo totalmente quando você diz que ensinar literatura brasileira do século XVI é pedir pro aluno odiar o português e adjacências. Isso funciona quando o aluno já vem com uma carga literária desde criança. Que ele conheça palavras como prolixidade, onírico, pragmático ou anacrônico.
    Todas as questões que você levantou na postagem dão discussões imensas.
    Gostei demais de ter participado um pouco disso. Muito bom, mesmo!

    bjus

    terradecarol.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade, Carol. Comecei a observar que crianças de seis anos de idade ainda não sabem ler e escrever o básico. No máximo formar umas sílabas. É que o sistema de ensino está meio defasado, já não funciona mais num mundo onde crianças estão cada vez mais atentas a realidade e que não carregam mais a inocência das gerações anteriores.
      Entendo completamente a sua falta de tempo. Era igualzinha a da minha mãe... Ela quase não podia me ajudar com um dever de casa, era estressante e difícil. Simplesmente jogam para os pais milhares de deveres de casa, sem ao menos saber se eles dispõem de tempo para auxiliar seus filhos nisso. É dever da escola.
      O máximo que minha mãe pode fazer foi incentivar, comprar jornal aos fins de semana. O que foi essencial. Você é uma lutadora, viu? Meus parabéns. Observo que muitas mães negligenciam seus filhos e fico muito feliz que você seja diferente.
      O preço caro dos livros é o grande motivo da minha família não poder ter uma estante lotada. As coisas só foram melhorando aos poucos, agora sim comecei a formar a minha. Há necessidades acima, como a comida, a saúde... Enfim, necessidades básicas.
      Cultura está ficando cada vez mais cara nesse país. Disseminam aos montes para quem possui acesso, e os que estão carentes dela? Quase nada. Como se cultura fosse um pedaço de terra. Uma propriedade privada ao invés de algo merecido por todos. Partilho do mesmo problema que o seu: a falta de uma biblioteca. A única que conheço é longe e burocrática, desisti de acessá-la.
      Quanto à literatura que ensinam nas escolas... Nossa, ela é como uma carga pesada a se segurar. Fazem os alunos engolir por obrigação. O interessante seria ler pedaços junto com eles, explicar as palavras difíceis... Ajudá-los a enriquecer o vocabulário. Parece utópico, não é? Mas seria o ideal para o século XXI.
      Obrigada, obrigada! Por me deixar fazer parte do seu tempo tão apertado. Comentários assim contribuem na minha esperança e na minha vontade de fazer cada vez mais parte do mundo literário.

      Beijos e abraços, May.

      Excluir
  3. Realmente, você ressaltou pontos muito importantes na hora da formação do leitor. A falta de incentivo PRINCIPALMENTE, porque você não vai começar do nada, vai?

    Um beijo,
    Luara - Estante Vertical

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, eu considero o item principal, por isso o coloquei em primeiro lugar.
      Obrigada. ;)

      Excluir
  4. Verdade, o primeiro é o preço que não facilita nada para as pessoas que tem baixas rendas. As pessoas também estão mais interessadas em celulares e em computadores que acabam não dando uma chance à leitura para ver o quanto é bom poder imaginar.

    Admirando os Livros

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Exatamente...
      Terminei o ensino médio ano passado, em escola pública... A estante ficava lá, cheinha... E quase não visitavam.

      Excluir
  5. o preço nao facilita, mas é melhor investir em leitura do que em porcaria, esse lance de preço tem que incentivar os pais que comprar livros é melhor do que um tenis de 400 reais

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é... Pena que é difícil fazer a maioria perceber isso... Perceber que um tênis se desgasta em pouco mais de um ano, mas um livro que se lê...
      Fica marcado para sempre.

      Excluir
  6. Olha, você mencionou todos os fatores que acabam por desistimular os jovens a gostar de ler, mas para mim, o principal deles é o preço. Ninguém consegue sustentar por muito tempo um luxo desse tamanho. Gente, os preços dos livros estão absurdos. A gente tem que fazer uma escola em muitos casos: ou come ou lê. E eu não estou brincando. Tenho alunos que gostam muito de ler, mas que não podem pedir para os pais comprarem porque levam um tremendo fora (é isso mesmo). Comprar um livro de R$ 40??? Nem pensar... Melhor comprar dois quilos de carne... É triste, mas é verdade...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu entendo...
      É que geralmente, se tratando de jovens, os colégios costumam ter bibliotecas. Alguns sortudos possuem cidades com bibliotecas também - não é o meu caso.
      E apesar dos livros ainda serem caros, algumas vezes aparecem promoções incríveis...
      Quando eu era criança, era assim para mim... O dinheiro era pouco, sem internet e afins...
      Hoje a vida proporciona mais recursos, recursos que eu gostaria de ter tido antes.

      Excluir
  7. Eu sempre fui incentivada a ler, desde pequena.
    Minha mãe tinha muitos livros e vivia contando a história deles, de uma forma tão maravilhada, que meu interesse foi completamente natural e genuino.
    Conheço pessoas que gostam de ler, mas cujos pais simplesmente incentivam contra! Dizem que ler só causa imaginação e ilusões demais!
    Isso é um absurdo! Espero que um dia o Brasil cresça neste sentido! Mas acho que muitas coisas estão mudando! Graças a Deus!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também conheço umas raras exceções que buscaram o incentivo dentro de si... São lindos exemplos...
      Quanto ao crescimento, é meio estranho. Vejo sim que o acesso está maior e há grupos declarados de jovens viciados em ler. Até participava de um.
      Agora, por outro lado, aumentou bastante o número de jovens ignorantes em relação a leitura. Não só na leitura, como numa música decente e afins.

      Excluir
  8. oi, Maynara sou professora e amane incondicional da literatura. Os fatos que mencionou são validos, porém ainda só daquelas que acredita que o pior é a falta também de interesse em se culturalizar. Veja, eu lei desde os 7 masi ou menos, aprendi aler c de 5 pra seis anos e ai minha mãe começou a incentivar tanto eu , quanto meus irmãos com revista em quadrinho. Demorou muitos anos para que minha mãe pudesse comprar um livro, mas na biblioteca da escola pública em que estudava tinh alguns ´títulos como Reinações de Narizinho, alguns de lendas folclórica, etc. então não é só isso que menciono, mas o ser humano também tem que querer, sei que os proeços dos livros não ajudam muito é verdade mas....
    Post maravilhoso.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah, essa falta de interesse é bem crescente nos dias de hoje. Sempre haverá uma parte resistente, mas de qualquer forma elas precisarão ler algo, nem que seja um aviso num mural.
      Interessante os títulos da sua infância.
      Muita obrigada, viu? Leia sempre kkk ;)

      Excluir
  9. Ola, eu também sempre tive incentivo para ler desde pequena, sinto que as crianças hoje em dia não querem saber de ler, eu sempre presenteio meus sobrinhos com livros e hj em dia eles não gostam mais de ganhar livros!! É uma pena, pois não sabem como é bom viajar nos livros!!

    òtima postagem ^^

    beijo Mila
    http://dailyofbooks.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Uma pena mesmo. Espero que um dia a situação se reverta.
      Obrigada Camila, a intenção é melhorar. ^-^

      Excluir
  10. Realmente, você citou os melhores pontos. Minha mãe não me apoia muito nas minhas leituras, e eu comecei a ler livros tarde, queria ter começado muito mais cedo. Na escola também, esse caso de ler literatura antiga não é muito minha praia, criei uma barreira nisso. E os preços, a maioria sofre com isso né, uma pena que existam esses problemas.

    Beijos,
    biblioteca-de-resenhas.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu me arrependo também, me sinto um pouco para trás nessa questão. Porém, vou recuperar o tempo perdido.
      Pois é, eu entrava em desespero com certos livros, hoje já entendo a mensagem que eles querem passar.
      Sim, os preços ainda são exorbitantes.

      Beijos e abraços, obrigada por deixar sua opinião. ^^

      Excluir
  11. Ótimo post May,acho que todos esses motivos somando as infinitas horas que os jovens,incluindo meus filhos,passam na internet e jogando video game,a leitura acaba ficando em segundo plano... acho triste,mas já comecei minha luta aqui dentro de casa.... quem sabe consigo começar a mudança !!!

    bjsss

    Bianca

    http://www.apaixonadasporlivros.com.br/

    ResponderExcluir
  12. Otimo post Mayana. Todos motivos que você elencou, somados a falta de cultura ajuda no "não gostar de ler". eu nunca fui incentivada a ler. Mas sou da opinião que quem l sempre tem o que conversar. Vejo aqui pela minha casa que fazer um jovem tomar gosto pela leitura não é fácil. Mas acho que chega uma hora que ele pode ter um 'inside' e tomar gosto pela coisa, rsrsrs. Se pegarmos como exemplo as musicas que a meninda ouve hoje, não "podemos" exigir a leitura. Porque, minha flor, estão acabando com os neurônios deles, rsrsrs... Mas brincadeiras á parte, como blogueiras literárias cabea nós levantar uma bandeira em prol da leitura e mostrar o quão maravilhoso é viajar sem sair do lugar, aos nosso jovens. bjus
    Eykler

    www.aghridoce.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  13. Muito bom o post, gostei.
    Concordo com você, para mim é uma maior dificuldade fazer minha irmã ler. Mesmo que o livro seja fino, ele reluta em ler.
    Beijos...

    ResponderExcluir
  14. Haha', é bem assim mesmo.
    Eu não lia exatamente por esse motivos, achava que ia perder meu tempo. Até começar a namorar com uma leitora compulsiva, ela me incentivou a ler, e viciei =] kkk.

    Beijos do Sol :*
    http://tyciahadiresenhas.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  15. Concordo com tudo o que disse. E acho que a falta de incentivo pode ser pelo fato de que até os adultos estão devorados pela tecnologia!
    Beijos

    Helena - https://hassdc.wordpress.com

    ResponderExcluir

Olá, leitores e blogueiros.
Os comentários de vocês são muito bem-vindos.
Respondo a todos, deixe o link de seus blogs,
vou adorar visitar e comentar.

Bem vindos a Love Books.