04 fevereiro 2013

{Resenha} A Menina que Roubava Livros


Olá leitores e blogueiros,
Hoje trago uma resenha bem especial da nossa querida colunista Maynara Costa. Não tive a oportunidade de lê-lo. Mas quem já leu diz que é ótimo. Vamos à resenha.



Livro: A Menina que Roubava Livros
Autor(a): Markus Zusak
Páginas: 480
Editora: Intrínseca
No Skoob

Sinopse:  Entre 1939 e 1943, Liesel Meminger encontrou a Morte três vezes. E saiu suficientemente viva das três ocasiões para que a própria, de tão impressionada, decidisse nos contar sua história, em "A Menina que Roubava Livros", livro há mais de um ano na lista dos mais vendidos do "The New York Times". Desde o início da vida de Liesel na rua Himmel, numa área pobre de Molching, cidade desenxabida próxima a Munique, ela precisou achar formas de se convencer do sentido da sua existência. Horas depois de ver seu irmão morrer no colo da mãe, a menina foi largada para sempre aos cuidados de Hans e Rosa Hubermann, um pintor desempregado e uma dona de casa rabugenta. Ao entrar na nova casa, trazia escondido na mala um livro, "O Manual do Coveiro".




Sonho em ler esse livro desde 2010. Era como se o mundo inteiro tivesse lido, menos eu. Acabei me esquecendo de lê-lo, em meio à confusão escolar e aos estudos direcionados ao ENEM. Até que, no Natal passado, o ganhei de amigo oculto. E posso afirmar, com total convicção: foi um dos melhores presentes que ganhei na minha vida.

Logo no prólogo, já me enchi de curiosidade. Bate aquela confusão sobre a narradora e surge aquela vontade de ir adiante para espantar as dúvidas que nascem no início. Afinal, me colocaram tantas expectativas sobre a história, que uma decepção me deixaria meio inconformada com tantas críticas positivas. É meio difícil para mim fazer uma resenha que não dê spoilers.

Pensar na morte como narradora parece difícil, pois a maioria das pessoas a relacionam com falta de sentimentos. Um ser cruel, que não sente pena das almas que carrega e não possuiu bondade no coração. Mas não se deve pensar assim, pois pelo menos nesse livro, ela é capaz de nos surpreender e mostrar uma face que gostaríamos de saber. Um lado mais humano e piedoso, digno de atenção. Alguém que se interessa pelos humanos, principalmente pela protagonista: Liesel Meminger.



Liesel está no estopim da Segunda Guerra Mundial. Uma jovem menina vivendo entre o grande poder do Führer e a insignificância das mentes pequenas que se rebelaram contra os judeus. Embarca num trem que a levará a uma cidade alemã chamada Molching e no meio do trajeto seu irmão morre. Há uma parada e depois um enterro num frio congelante. Liesel encontra “uma coisa preta e retangular abrigada na neve” e a pega. É um livro, que escapou de um dos coveiros. Sua jornada de roubos literários começa por aí.

Depois, ela descobre que ficará com os Hubermann, que serão seus pais de criação. Rosa, a mulher cheia de palavras sujas e que dá surras de colher de pau. Hans, o homem que toca acordeão, pinta paredes e é como um pai para ela. Sempre prestativo e doce. Pelo menos na maioria das vezes. Acho difícil não pirar em meio às frustrações daquela situação. A partir daí, vários fatos acontecem. Só não gostaria de narrá-los porque contarei o livro inteiro e estragarei tudo para os que ainda não leram.

O final é surpreendente. O livro é uma mistura de ensinamentos de História, a impotência de uma geração, a esperteza de uma menina e a dor da perda. E nele se incluem muitos fatos: um namoro que nunca aconteceu, uma amizade de poucas palavras, o poder da leitura e da escrita... Nossa, com certeza fica na lista dos livros que precisam ser lidos antes de morrer.



Nota:





7 comentários:

  1. Acredita que eu comecei a ler esse livro e não pude terminar (tive que devolvê-lo à biblioteca). Desde então esse livro está na minha lista de leituras esperando o dia em que irei ganhá-lo ou comprá-lo. Espero que seja logo!

    Adorei a resenha! Não vejo a hora de voltar a ler o livro!!

    Beijussss;
    http://hipercriativa.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Espero que seja mesmo, Helaina!
      Até penso: "Como não o li antes?"
      Obrigada :)

      Excluir
  2. Oi, eu nunca tive vontade de ler esse livro...apesar dos maravilhoso comentários..
    Gostei da sua resenha e que bom que para vc a leitura foi boa.
    Beijinhos
    http://marlicarmenescritora.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada pelo elogio! :)
      Pois é, esse livro divide opiniões. No skoob é o mais abandonado, e o segundo preferido do pessoal.

      Excluir
  3. Oi,
    Faz tempo que este livro está me esperando na estante, e não sei muito bem o porque não leio logoo..rs
    Mas adorei a resenha, me deu um incentivooo!
    Opaa,ainda não conhecia seu blog, estou adorando e já estou seguindoo!
    Também tenho um blog sobre livro, passa lá pra conhecer!!
    Beijoos!
    http://www.myliterarylife.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada.
      Pode deixar que vou dar uma passadinha no seu blog, me conquistou à primeira vista. :)

      Excluir
  4. Uau... eu tenho o livro aqui... Ainda nao li por falta de vergonha na cara! Mas sei que a analisar pelas outras obras do MArkus Suzak eu irei me surpreender. Resenha magnifica.

    abraços,

    Michael Josh

    http://diariodomichaeljosh.blogspot.com

    ResponderExcluir

Olá, leitores e blogueiros.
Os comentários de vocês são muito bem-vindos.
Respondo a todos, deixe o link de seus blogs,
vou adorar visitar e comentar.

Bem vindos a Love Books.